Vivemos em Midgard? Mapa de mil anos mostra imensas massas de terra para além da borda da Antártida

 

Se esse mapa feito há mil anos por padres chineses e descoberto em um templo budista por um médico e cirurgião japonês no Havaí no começo do século XX for verdadeiro, significa que os governos estão escondendo do público imensas e infinitas quantidades de terra (muitas ilhas continentes) para além do Círculo Antártico.

Por Cláudio Tsuyoshi Suenaga

Agradecimentos especiais ao amigo Euphrasio pela indicação da existência desse mapa

Um mapa de mil anos de antiguidade, estampado pela primeira vez na edição de 11 de janeiro de 1907 do jornal The Hawaiian Gazette, mostra muito mais porções de terra além das bordas da Antártida. Você pode conferir o jornal original em alta resolução aqui.

O mapa é deveras interessante por ser muito similar aos mapas do professor sírio-americano John G. Abizaid (1868-?) e do engenheiro civil britânico Alex Gleason (veja mais informações sobre ambos abaixo), exceto que mostra muito mais terras que não são visíveis nesses mapas e em outros mapas do mundo.

Trechos do artigo de 1907:

“Mais estranho que o ‘manuscrito encontrado em um cilindro de cobre’ é a cópia de um mapa que cruzou os mares até Honolulu a partir de um templo budista nas montanhas do Japão central.

É um mapa do mundo feito há mil anos. O Dr. Kobayashi, um conhecido médico e cirurgião japonês de Honolulu, recebeu uma cópia do mapa, que ele acredita ter sido feito por padres chineses há dez séculos.

O mapa é baseado no princípio de projeção Mercator, que mostra o Polo Norte como o centro de um círculo no qual estão localizados os continentes da América do Norte e do Sul, Europa, África, Ásia e Austrália.

O mapa foi encontrado por seu irmão em um templo japonês nas montanhas do Japão, disse Kobayashi, e foi escondido pelo governo japonês nos tempos modernos.

Segundo uma carta, o mapa original foi trazido da China por um padre budista e escondido nesse templo.

O mapa é uma cópia do original feita pelo irmão do Dr. Kobayashi.

O mapa original com todos os continentes e até as ilhas havaianas mostradas, evidentemente não foi feito pelos padres.”

Cabe lembrar que em 1946-47, o almirante da Marinha dos Estados Unidos Richard Evelyn Byrd, Jr. (1888-1957) levou adiante a grande operação chamada High Jump (Pulo Alto), durante a qual descobriu e cartografou 1.390.000 km² de território antártico. Ao retornar, concedeu entrevistas para o rádio e a televisão nas quais disse que havia uma “massa secreta de terra do tamanho da América para além do Polo Sul”. Veja abaixo uma dessas raras entrevistas em que disse, literalmente: “There is a secret land mass the size of the US”.

Byrd recebeu a Medalha de Honra, a condecoração mais elevada dada pelos Estados Unidos, e foi um pioneiro da aviação, exploração polar e organização logística de expedições polares. Liderou expedições que cruzaram o Oceano Atlântico e segmentos do Oceano Ártico e da Antártida e que foram as primeiras a alcançar tanto o Polo Sul quanto o Polo Norte pelo ar.

O almirante da Marinha dos Estados Unidos Richard Evelyn Byrd, Jr.

O mapa publicado em 1907 pode ser uma mera fantasia, mas se corresponder à realidade, significa que os governos estão ocultando da população porções infinitas de terra para além da Antártida.

Os OVNIs e os ufonautas, assim, não viriam de outros planetas, de distâncias incomensuráveis, mas de nosso próprio mundo, de outras terras desconhecidas para nós. Isso explicaria porque são vistos desde tempos idos em todos os quadrantes da Terra com uma frequência avassaladora, muito maior do que seria de esperar de fortuitos visitantes cósmicos, e porque aparentam conhecer quase todos os aspectos de nossa cultura e religião, manipulando-as, inclusive.

Como dizia o poeta francês do dadaísmo e surrealismo Paul Éluard, pseudônimo de Eugène-Émile-Paul Grindel (1895-1952), “Há outros mundos, porém estão neste”.

Viveríamos, como querem os terraplanistas, em uma superfície plana interminável e infinita em todas as direções?

O Mapa de John G. Abizaid de 1920

John G. Abizaid

Segue o texto que está impresso na segunda parte do mapa:

“Este é o verdadeiro mapa da Terra Plana estacionária por um professor sírio-americano, John G. Abizaid.

Tenho publicado este mapa para revelar o verdadeiro formato da terra.

Primeiro, para ajudar as pessoas em reconhecimento ao fato de que a Terra é plana e não se move.

Em segundo lugar, para que os jovens nas escolas e em posições mais elevadas possam ter o benefício da verdade.

Existem muitas provas de que o assunto é verdade, como você terá a certeza de encontrar em meu livro, The Enlightenment of the World.

A teoria da terra redonda e flutuante é falsa e você não deve acreditar nela, contanto que você mesmo pode ver e sentir que a terra é um objeto simples e imóvel e você vai ver que o sol, a lua e as estrelas estão em movimento diário.

Eles chegam todos os dias a partir do Leste para o Oeste. A luz do sol progride do Sul e avança para o Norte e retorna em um ano. Por conta do movimento do sol do Sul para o Norte, em contrapartida temos as quatro estações, a saber: Primavera, Verão, Outono e Inverno.

A superfície da terra está dividida em cinco zonas.

Primeira: O Centro Norte, que é escuro por seis meses e é iluminado por seis meses. Em algum momento no futuro, haverá algum explorador que vai atravessá-la.

Segunda: A Zona Temperada do Norte é o mais desejável para viver. As nações mais industrializadas e poderosas habitam nesta zona.

Terceira: A zona tórrida (Trópicos) é quente diariamente com o sol sempre sobre ele. O corpo do sol não sai desta zona a uma extensão muito grande.

Quarta: A Zona Temperada do Sul tem aproximadamente o mesmo clima da Zona Temperada do Norte.

Quinta: O Círculo do Sul é escuro e gelado como o Centro Norte, mas ninguém pode atravessar este círculo, pois é a borda da terra e é perigosa para a vida. O Círculo do Sul é a maior das cinco zonas, também as noites são mais longas, quando o sol está se movendo perto do Círculo do Sul, mas quando o sol se move perto do Centro Norte, a noite é de cerca de oito horas na Zona Temperada do Norte e do Centro Norte é iluminada por seis meses. Esta é uma prova de que o norte não é como o sul em forma, nem o sul como o norte.

Se a Terra fosse redonda, como algumas pessoas imaginam, as formas do Polo Norte e do Polo Sul seriam exatamente as mesmas. O Polo Norte e o Polo Sul teriam seis meses de escuridão e seis meses de luz.

Além disso, o sol demora mais tempo para se deslocar de leste a oeste perto do Círculo do Sul. Faça uma viagem ao redor do Círculo do Sul e outro em torno do Centro Norte e você vai descobrir que é uma distância muito mais curta em torno do Centro Norte, o que prova que o Norte e o Sul não possuem a mesma forma como as pessoas afirmam.

Depois que você estudar a verdade do meu trabalho, você vai saber que estou certo. Se alguém quiser mais explicações, eu terei o prazer de dar-lhe.”

John G. Abizaid
3 Malden Street,
Boston, Massachusetts

Veja aqui o mapa da Terra Plana feito pelo professor sírio-americano John G. Abizaid em alta resolução.

Baixe aqui o livro The Enlightenment of the World em PDF.

“Este livro contém provas de que a Terra é plana e estacionária, enquanto o sol, a lua e as estrelas estão em constante movimento.” (John G. Abizaid)

O Mapa de Alex Gleason

Muito usado pelos terraplanistas, o Mapa de Gleason, chamado de “O novo mapa padrão do mundo”, era simplesmente uma versão da projeção equidistante azimutal, centralizado no Polo Norte.

Ou seja, o Mapa de Gleason era apenas uma projeção da forma esférica da Terra, como qualquer outro mapa, mas foi produzido especificamente por Alex Gleason em 1892 como seu mapa da Terra Plana.

Gleason era um engenheiro civil que acreditava em uma Terra Plana e escreveu em 1893 o livro Is the Bible from Heaven? Is the Earth a Globe? (É a Bíblia do Céu? É a Terra um Globo?), que pode ser baixado aqui.

Vivemos em Midgard?

“A vida é só mistério. Devemos ser humildes. Grande é a nossa indigência intelectual. Soma-se a isso a maldade dos homens em nos ocultar o que Deus revelou.” (Euphrasio)

J. R. R. Tolkien em 1916.

O escritor, professor universitário e filólogo britânico John Ronald Reuel Tolkien (1892-1973) teria querido nos passar de forma oculta e ficcional uma verdade, a de que haveriam outras terras dentro desta, quando recriou sua Middle-earth (Terra Média), que chamava de Endor? O seu mundo era originalmente plano!

Entre 1925 e 1945, Tolkien lecionou anglo-saxão na Universidade de Oxford, e entre 1945 a 1959, inglês e literatura inglesa na mesma universidade. Em 1937 escreveu O Hobbit, concebido como um livro infantil de fantasia ou conto de fadas, mas com recorrências sérias, escrupulosas e um tanto perturbadoras. Foram doze anos de trabalho (1937-1949) que atravessaram o período da Segunda Guerra Mundial (1939-1945) desde os primeiros rascunhos até a conclusão de sua monumental ficção fantástica O Senhor dos Anéis (The Lord of The Rings), que o tornaria um dos mais cultuados e influentes escritores de todos os tempos. Esse livro consolidava o seu “Mundo Secundário”, com novas normas, novos povos e uma realidade à parte.

A Terra Média – alusão ao que foi a Idade Média Europeia (séculos V ao XV) – é uma espécie de dimensão paralela ou uma era mítica da história humana há muito esquecida habitada por magos, homens, hobbits (seres alegres, pacíficos e pequenos, de estatura entre 60 centímetros e 1,20 metros, com grandes pés peludos, orelhas pontudas e muito ágeis, capazes de desaparecer com extrema facilidade), elfos, anões, ents (árvores milenares falantes e andantes, protetores das florestas) e pelos vorazes orcs e trolls, além de cavaleiros negros (Espectros do Anel, os Nazgúl) e criaturas ainda mais terríveis e monstruosas que essas, mas que não tinham nome.

A Terra Média de Tolkien.
Endor, como Tolkien chamava originalmente a Terra Média.

Conforme definiu o próprio Tolkien, “criei um Mundo Secundário no qual sua mente pode entrar. Dentro dele, tudo o que ele relatar é ‘verdade’: está de acordo com as leis daquele mundo. Portanto, acreditamos, enquanto estamos, por assim dizer, do lado de dentro.”

Com o seu inestimável saber mitológico, histórico e linguístico e seu alto grau de genialidade imaginativa, Tolkien conseguiu elevar suas obras até o ponto da verossimilhança e da ucronia, atingindo um tipo de profundidade que ecoa ao fundo das culturas que inventou. Seus nomes para os lugares e personagens são mais do que apropriados, como se traduzissem ideias, sentimentos e modos de comportamento; seu sistema de linguagem específico para os elfos, anões e orcs, combinam perfeitamente, apenas por seus ritmos e fonéticas, com a natureza e inclinação dessas raças.

Sabemos que o termo “Terra Média” vem do anglo-saxão middanġeard e do norueguês antigo Midgard, e que os gregos chamaram οικουμένη (oikoumenē) ou “o local permanente dos homens”, o mundo físico oposto aos mundos invisíveis. O Mar Mediterrâneo provém das raízes latinas, medi, meio, e terra.

Os círculos do mundo e os continentes de Arda na concepção da Terra Média de Tolkien.

Tolkien usou os termos “Terras Exteriores” e “Terras Grandes” antes de “Terra Média”, que passou a especificar as terras ao leste do Grande Mar.

Conclusão

Não temos a mínima ideia onde esta nossa terra termina, se é que termina. O que chamamos de planeta ou mundo está circunscrito às terras que circunscrevemos e que percorremos em círculos fechados. E que os donos do mundo reduziram a uma bola giratória, rodopiante e deambulatória.

Os verdadeiros limites da Terra na verdade são ignorados, se é que há limites… e com isso quero dizer que ela NÃO termina na Antártida. Depois das imensas barreiras ou muralhas de gelo do grande círculo Antártico, haveria terras e civilizações só conhecidas pelas altas cúpulas das sociedades secretas e dos governos. Terras que somos proibidos de conhecer e de visitar. As principais potências sabem disso, tanto que proíbem, mediante violência, qualquer um que tente explorar para além das barreiras de gelo da Antártida. Até quando vão nos ocultar?

A Terra não é propriamente um “planeta”, mas um plano dimensional. Tampouco há planetas habitáveis e civilizações em outros “sistemas solares”. Planetas são simplesmente astros luminosos e não pedaços esféricos de terra e pedra suspensos no vácuo. Materialismo mais grosseiro é impossível.

É lamentável estarmos sendo por tanto tempo enganados dessa maneira. A exploração do espaço é mera distração. Bilhões já foram gastos nisso sem que se encontrasse um único indício de vida inteligente, e muitas lorotas tipo Star Trek e Star Wars foram inventadas para convencer as massas de que há outros mundos parecidos com o nosso além deste, quando estes outros mundos estão dentro deste, como dizia Paul Éluard.

O mapa da Terra Plana (Map of the World as a Plane) conforme consta na obra Terra Firma: The Earth Not a Planet, Proved from Scripture, Reason and Fact, elaborada por David Wardlaw Scott em 1901.
O mapa da Flat Earth Society.
A bandeira da Organização das Nações Unidas (ONU) nada mais é do que o mapa da Terra Plana.
Uma jóia esquecida da edição de 31 de janeiro de 1897 do New York Journal revela o mapa da Terra Plana com o anel de gelo da Antártida. No texto, que está escrito dentro do mapa, lê-se: “Parede de gelo ao redor do mundo plano.” A página completa do jornal está digitalizada, sendo preservada por mais de um século. Veja aqui.

14 thoughts on “Vivemos em Midgard? Mapa de mil anos mostra imensas massas de terra para além da borda da Antártida

  • 05/09/2019 em 12:42
    Permalink

    Parabéns pelo belo site Cláudio!! Sempre recomendo ele! Abração

  • 06/09/2019 em 00:16
    Permalink

    Obrigado Will Hostins, suas palavras são um grande estímulo! Abraços.

  • 06/01/2020 em 23:59
    Permalink

    Parabéns, belíssimo trabalho de esclarecimento, enfim achei conteúdo verdadeiro.

  • 07/01/2020 em 21:11
    Permalink

    Obrigado caro Bertonio, valeu.

  • 21/02/2020 em 03:09
    Permalink

    Conteúdo sensacional! Muito obrigado por compartilhar esse ótimo trabalho de pessoa e estudo! A terra segue plana!

  • 21/02/2020 em 09:05
    Permalink

    Muito bom, parabéns pela pesquisa.

  • 21/02/2020 em 09:45
    Permalink

    Excelente material, pena que tanto conhecimento e informações sobre o real formato do mundo em que vivemos foi nos ocultado pela elite satanica, especificamente a satanasa

  • 21/02/2020 em 11:42
    Permalink

    Parabéns ! pois nao existe nada escondido que nao venha a ser revelado, ou oculto que nao venha a ser conhecido lucas 12:2

  • 21/02/2020 em 15:10
    Permalink

    Quanta informação de qualidade Cláudio, obrigado e parabéns pelo seu ótimo trabalho.

  • 22/02/2020 em 14:50
    Permalink

    1% de dúvidas é sempre imperioso, senão fica crença. Os fatos negam 99% o modelo globo. INclusive com ajuda da NASA e seus vídeos CGI.

  • 24/02/2020 em 20:56
    Permalink

    Não da para entender o motivo de esconder tais fatos

  • 28/02/2020 em 08:04
    Permalink

    Gostaria muito desse mapa impresso

  • 28/02/2020 em 10:46
    Permalink

    Incrível conteúdo com indicações de materiais base para estudos aprofundados. É necessário usar as mídias sociais para partilhar estas informações. Cada um fazendo um pouquinho ampliamos o trabalho da Luz. Gratidão Cláudio!

  • 29/02/2020 em 22:20
    Permalink

    Sou eu quem lhe agradece, e muito, cara Márcia, pelo apoio, compreensão e estímulo. Grande abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *