Rússia 2018: A Copa do Eles Vivem a Controlar o Mundo

Por Cláudio Tsuyoshi Suenaga

É patente que o logotipo oficial da Copa do Mundo da Rússia de 2018 é uma alusão subliminar aos extraterrestres do filme They Live, de 1988, escrito e dirigido pelo “mago negro” hollywoodiano John Carpenter, que elucidou de forma nítida e perceptível a verdade sobre o mundo em que vivemos e quem realmente o controla (saiba tudo sobre o filme aqui). Mais uma simbologia oculta illuminati para ir conformando a população mundial de que não passa de reles gado humano.

O logotipo foi revelado pela primeira vez em 28 de outubro de 2014 por astronautas russos na fake Estação Espacial Internacional, e depois projetado no Teatro Bolshoi de Moscou durante uma transmissão. O ministro russo dos Esportes, Vitaly Mutko, explicou que o logotipo foi inspirado “na rica tradição artística da Rússia e sua história de realização audaz e inovação” (?), e o presidente da FIFA Joseph Blatter, por sua vez, explanou que ele reflete “o coração e a alma do país” (?).

Não se iludam, mesmo que ainda possamos nos embevecer com o espetáculo e enganar a nós mesmos que estamos diante de uma disputa legítima. O fato é que a FIFA já definiu bem antes do começo desta Copa do Mundo de 2018 na Rússia o seu vencedor.

Nos últimos anos, a FIFA esteve envolvida em diversos escândalos de corrupção, entre eles o de arranjar os resultados dos jogos e das “competições”. É evidente que a FIFA, intimamente ligada à máfia empresarial que comanda o futebol, tem nítida e assumida preferência por determinados clubes e jogadores em detrimento de outros, já que rendem centenas de milhões de dólares por evento. Pululam denúncias por parte de técnicos de que patrocinadores, empresários e dirigentes lhes impunham a convocação de determinados jogadores sob suas tutelas.

Apesar de badalados e paparicados pela mídia, os grandes ídolos não despontaram nesta Copa e foram embora mais cedo para casa. Suas habilidades não foram suficientes, não se sentiram lá muito entusiasmados pelo tanto dinheiro, fama e conquistas que já possuem ou simplesmente receberam ordens para não jogar tudo o que sabem e podem jogar?

A FIFA também está associada com a Maçonaria, os illuminati, simbologia, astrologia, numerologia, cabala e ocultismo satanista em geral. Descobertas muito perturbadoras por parte de jornalistas investigativos e pesquisadores particulares, sem contar testemunhos de técnicos, jogadores e outros profissionais do futebol, puseram tudo isso à mostra nos últimos anos.

Muitos vão perguntar: Por que a FIFA usa o ocultismo e a numerologia? A resposta é simples: eles fazem isso para fins espirituais, para deixar sua marca nos indivíduos e controlar as massas. Você não acha curioso que a quantidade de fãs de futebol tem aumentado exponencialmente nos últimos anos?

Os números illuminatis mais usados são 9, 11, 13 e 33. Esses números estão relacionados a eventos mundiais importantes, vide por exemplo a Segunda Guerra Mundial, que terminou exatamente às 11h11, a fraude da Apollo 11, o ataque às Torres Gêmeas de 11 de Setembro e outros eventos de monta.

De acordo com a análise dos números, temos outros dados curiosos. O primeiro é que a América e a Europa compartilharam as copas do mundo por acordo mútuo até 2002, quando este acordo parece ter sido rompido, já que 2006, ou seja, há quatro copas, apenas países da Europa têm se sagrado campeões. Outro fato interessante é que a cada 24 anos surge um novo campeão, como é o caso da Espanha em 2010.

Cerimônia de abertura da Copa do Mundo na Rússia em 14 de junho de 2018, quinta-feira, no Estádio Luzhniki, em Moscou.

Todos sabem que o futebol foi inventado pelos ingleses, mas o que quase ninguém sabe é que esses ingleses eram maçons! Isso mesmo, saiba mais a respeito lendo o artigo do espanhol Miguel Á. Fuentes, publicado no site ufo-spain.com e que reproduzo abaixo com tradução para o português do site universoufovni.blogspot.com:

Futebol: Uma criação maçônica

Por Miguel Á. Fuentes

O futebol é o esporte “rei”, mas poucos sabem o que está por trás deste grande esporte, e quem foram os seus criadores. Agora vamos contar tudo.

O esporte que movimenta bilhões de dólares e que gera mais euforia na sociedade sem dúvida é o futebol. Eles dão sua energia antes, durante e depois dos jogos. O ser humano é atraído por impulsos primitivos e por temas sagrados e o futebol cumpre todos esses requisitos. Nossos impulsos primitivos são ativados observando homens lutarem contra homens em uma batalha, como no futebol. Mas por que?

A fúria da batalha para alcançar a vitória saciou nossa sede mais ancestral, quando éramos tribos e honrávamos nossos deuses com cantos e sacrifícios rituais. O futebol moderno foi uma invenção criada em 1863 por um grupo de maçons ingleses que, depois de algumas reuniões em um conhecido pub londrino, definiram regras e estrutura do jogo que resultaram no futebol convencional como nós conhecemos.

Estes maçons aplicaram todo o seu conhecimento de alta magia e alquimia neste esporte e é por isso que é tão bem sucedido em nossa sociedade, em todo o mundo. Se pararmos na observação de cada detalhe, encontraremos as chaves básicas que nos lembrarão toda a “simbologia antiga”.

É jogado em um retângulo verde, sendo o verde a cor que simboliza a eternidade. O retângulo é dividido em dois quadrados, um para cada equipe. O quadrado duplo é um símbolo de iniciação por excelência. A partir deste símbolo está inscrita a seção dourada ou divina usada pelos pintores como Da Vinci. Então, o número de jogadores para cada equipe é onze. Sendo este icônico na alquimia.

A soma de ambas as equipes nos jogadores soma vinte e dois. Os vinte e dois também são um número iniciatório ritual icônico. Sânscrito tem vinte e duas letras principais. Assim como os vinte e dois grandes arcanos do tarô ou os vinte e dois polígonos regulares da matemática. No centro do campo há um círculo, com um ponto no centro dele. É o símbolo do ouro na alquimia ou o símbolo do sol, tão usado em escrituras antigas e gravuras antigas.

Os cantos do campo de jogo, que delimitam-se em quatro, com um círculo central, simbolizam os quatro arcanos menores do tarô: xícaras, paus, espadas e ouro. Nos objetivos, temos dois semi-retângulos horizontais com um semicírculo. Se os dois objetivos se juntarem, você obtém três quadrados, um menor, um médio e um grande. Isso na alta magia são os três quadrados: corpo, mente e espírito, que representam o “eu” interior.

Do centro do campo (o deus externo) é lutado de forma que a bola (o deus interno) introduza isto no objetivo (o ego, o templo). A bola simboliza o deus interior despertado pela iluminação. É por isso que a elite criou o futebol com esse simbolismo. Por esta razão, seu desenho é de hexágonos em preto e branco, como a mesa de xadrez, que simboliza a dualidade interna.

A elite usa muitos jogadores para o sucesso de suas equipes e o esporte se torna uma grande maré em massa. E os campeões mundiais cumprem um modus operandi peculiar.

E só para lembrar a Copa de 2014 no Brasil…