Os 20 anos das revelações de Arizona Wilder, a “deusa mãe” dos Illuminati

Dentre os testemunhos de mulheres que expuseram a elite reptiliana e satânica que governa o mundo, o de Arizona Wilder é o mais notório e relevante pelos detalhes da natureza cruel e desumana. Programada e treinada por Josef Mengele (o “Anjo da Morte” nos campos de concentração nazistas) para conduzir rituais satânicos para algumas das pessoas mais famosas do mundo, incluindo a Família Real britânica, Arizona Wilder descreve como conduziu rituais nos castelos de Glamis e Balmoral, nos quais a rainha-mãe e outros membros da corte sacrificaram crianças em cerimônias satânicas. Ela conta ainda as mesmas experiências com Henry Kissinger, George Bush, Bill Clinton, membros dos clãs Rockefeller e Rothschild e uma série dos nomes mais famosos dos Estados Unidos e do Reino Unido. Sua visão de mundo nunca mais será a mesma depois que você ouvir as revelações de Arizona Wilder pelas implicações chocantes em nossas vidas de hoje.

Por Cláudio Tsuyoshi Suenaga

David Icke entrevista Arizona Wilder.

Após ter lançado The Biggest Secret (O Maior Segredo) no início de 1999, maior segredo este que consistia no fato de que a mais alta hierarquia da Elite Illuminati, a facção que controla e dirige o mundo, seria composta por entidades reptilianas shapeshifter, isto é, capazes de mudar de forma disfarçando-se em humanos, bem como por híbridos humanos-reptilianos – resultados de cruzamentos entre uma raça reptiliana extraterrestre e a humanidade há milhares de anos atrás e que se estabeleceram como famílias reais nobres aristocráticas que se cruzam somente entre si para preservar sua estrutura genética – obcecados com o simbolismo e o ritual, David Icke recebeu uma carta datada de 25 de maio de parte de Arizona Wilder (pseudônimo de Jennifer Greene), que se dizia uma sensitiva que havia sido treinada e condicionada desde o nascimento por técnicas extremamente invasivas e violentas de controle mental baseado em trauma para servir aos interesses da Elite Illuminati.

Ela se dispunha a contar em detalhes todos os horrores que havia vivido e presenciado nas mãos dessa Elite, confirmando inclusive ter visto vários de seus dignitários se transformando fisicamente em seres reptilianos e praticando sacrifícios humanos, vampirismo e canibalismo, preferencialmente com crianças pré-púberes, devido a sua energia mais “pura”.

Icke gravou com ela uma longa entrevista transformada em um vídeo de três horas de duração intitulado Revelations of a Mother Goddess (Revelações de uma Deusa Mãe). Em uma série ininterrupta de estupefacientes revelações a atestar o quão pouco sabemos do que realmente está acontecendo no mundo, Arizona Wilder reconstitui sua história de vida marcada por torturas, abusos sexuais e participações em rituais satânicos conduzidos por líderes políticos e empresariais reptilianos sempre em seguimento a um calendário anual em linha com a chave lunar, solar e os ciclos planetários para aproveitar e captar a “energia imanente” que permeia o universo e todos os seres que nele habitam, tal como já faziam, aliás, os povos pagãos desde a mais remota Antiguidade. O 1º de Maio, chamado de Beltrane, seria uma das datas mais importantes para essa Elite, daí porque a Ordem Illuminati tivesse sido fundada exatamente nesse dia.

Arizona Wilder foi escolhida não só porque o avô paterno de sua mãe era um descendente ilegítimo dos Rothschild, uma das famílias mais poderosas e influentes do mundo, mas também porque vinha de uma família de médiuns dotados de poderes psíquicos. Esse fator, acrescido ao de sua linhagem, fez com que fosse escolhida pelos Illuminati para ser programada e usada como sub-sacerdotisa em seus rituais.

A provação de Arizona Wilder começou aos 3 anos de idade, quando foi separada de sua mãe. Aos 5, foi enviada para a Rússia junto com outras crianças como ela, isto é, dotadas de poderes psíquicos, para iniciar o treinamento que a levaria a ser a deusa mãe das missas negras dos Illuminati. Esse treinamento incluía práticas “amenas” como mergulhá-la em água gelada até o coração parar e violações sexuais de todos os tipos, em total consonância com os relatos de outras mulheres usadas pelos Illuminati.

Durante anos ela foi preparada e programada inconscientemente para viajar para outros planos dimensionais – quando seu coração parava, sua alma deixava o corpo – nos quais esses seres reptilianos que dominam e deformam o nosso mundo realizavam todo tipo de assédio, no que desenvolveu a capacidade de mover objetos com a mente (telecinesia) e de prever acidentes e mortes (premonição).

Arizona Wilder fala sobre equilíbrios de forças, tanto masculinos quanto femininos, e diz que tudo neste universo é baseado nisso. Ela nos diz muito dolorosamente que nosso sistema solar está desequilibrado e que isso precisa ser corrigido. Que estamos impondo a falsa Matrix nesta dimensão. E que devido a esse desequilíbrio energético, os seres dominantes estão conseguindo abrir portais dimensionais na Terra e a controlando quase que totalmente por intermédio da Elite Illuminati, submetida como todos os demais seres humanos aos seus desígnios.

Mas ela também nos dá grandes esperanças. Arizona Wilder fala que a genética desses seres é limitada, o que os impede de avançar. Que eles não podem subir além da quarta dimensão, e é por isso que precisam de nós. Por isso é que fazem experimentos constantes e hibridização com seres humanos procurando o que lhes falta, aquilo que eles não têm e procuram em nosso ser, e que eles provavelmente nunca encontrarão: A ALMA Humana.

Em termos mais imediatos, esses seres precisam de nosso sangue e energia para continuar vivendo neste planeta, que é sua prisão e da qual eles não podem sair. Algo como um castigo divino. São como anjos caídos. O mesmo sangue e energia que os deuses da Antiguidade precisavam e que são indicados nos sacrifícios de quase todos os livros sagrados, os mesmos livros sagrados que chegaram até nós e que, mesmo reconhecendo que eles nos apresentam muitos aspectos canibalísticos, continuamos venerando como divinos.

Arizona Wilder disse ter sido levada pela Família Real britânica a diversos locais para a prática desses rituais, como Stonehenge, Glamis Castle (Castelo de Glamis, no leste da Escócia, pertencente à família Bowes-Lyon, um dos mais antigos clãs da nobreza escocesa), Balmoral Castle (Castelo de Balmoral, próximo da cidade de Crathie, na Escócia, uma das residências da Família Real britânica desde 1852), Westminster Abbey (A Igreja do Colegiado de São Pedro em Westminster, mais conhecida como Abadia de Westminster, em estilo gótico, na cidade de Westminster, a igreja mais importante da Inglaterra, palco tradicional das cerimônias de coroação dos monarcas britânicos) e o Château dês Amerois (Castelo dos Reis), mais conhecido como Castle of the Dark Mother (Castelo da Mãe da Escuridão), na Bélgica.

O Château dês Amerois (Castelo dos Reis), mais conhecido como Castle of the Dark Mother (Castelo da Mãe da Escuridão), na Bélgica.
O médico nazista Joseph Mengele, também chamado de “O Anjo da Morte”.

Nesses locais, muitas vezes acompanhada de seus programadores reptilianos shapeshifters, entre eles o médico nazista Joseph Mengele, pioneiro no desenvolvimento de técnicas de controle mental, e o barão Guy Édouard Alphonse Paul de Rothschild (1909-2007), banqueiro francês da dinastia Rothschild, além da obrigatória presença dos membros da Família Real britânica, com destaque para a rainha Elizabeth II e o seu consorte príncipe Philip, ela teria visto figuras de proa como os Rockefeller, Lyndon Johnson, Ronald Reagan (quando ainda era governador da Califórnia), Henry Kissinger, Gerald Ford, Jimmy Carter, Tony Blair, Bill e Hilary Clinton, George Herbert Walker Bush e, pasmem, o astroarqueólogo Zecharia Sitchin (1920-2010), todos apontados como sendo reptilianos shapeshifters.

Em seu artigo Was Hitler a Rothschild (Hitler era um Rothschild?), David Icke acusou o barão Guy de Rothschild de ter sido “um dos mais grotescos expoentes do controle da mente baseado em trauma. Ele foi pessoalmente responsável pela tortura e morte de milhões de crianças e adultos, ou diretamente ou por intermédio daqueles que ele controlava. Ele conduzia rituais satânicos, como todas essas linhagens sempre fizeram, e só Deus sabe em quantos sacrifícios humanos ele esteve envolvido.”

Zecharia Sitchin

Ao ouvir a acusação de Arizona de que Sitchin estava engajado em desinformar a humanidade acerca de suas origens, Icke imediatamente compreendeu por quê Sitchin o havia recomendado a não falar dos reptilianos. Icke chegou a perguntar a Sitchin por que tendo ele abordado com tanta propriedade e insistência a civilização sumeriana-babilônica jamais havia sequer mencionado o fato de os “annunaki” por vezes terem sido retratados como seres reptilianos. No que soou menos como um conselho do que como um aviso, Sitchin bradou: “Não toque nos reptilianos, Icke!”

Um dos aspectos mais chocantes é o de que seus programadores a teriam fertilizado várias vezes com os óvulos que haviam sido retirados de seu útero anos antes e que por sua vez estavam impregnados com o sêmen de Pindar (identificado como sendo um tal de Marquis de Libeaux), “The Lizard King” (“O Rei Lagarto”) – curiosamente o mesmo epíteto autoproclamado por Jim Morrison (1943-1971), o líder do grupo de rock californiano dos anos 60 The Doors. Arizona engravidava e era forçada a abortar alguns meses depois para que seu feto fosse usado em rituais satânicos. Ao ouvir isso, é inevitável que nos venha à mente aquela passagem contida no Apocalipse 12:4: “O dragão parou diante da mulher que estava para dar à luz, para que, dando ela à luz, lhe devorasse o filho.”

A Bíblia Mais Bela do Mundo, nº 17, vol. I, 1965-09-07, p.278. Fonte: Arquivos de Cláudio Suenaga.

Documentários recomendados:

4 thoughts on “Os 20 anos das revelações de Arizona Wilder, a “deusa mãe” dos Illuminati

  • 14/03/2020 em 23:43
    Permalink

    Poderia me responder por email?qual o paradeiro de Arizona,ela sumiu,nunca mais ninguém falou nada…

  • 15/03/2020 em 21:53
    Permalink

    Prezada Erica, ela andou fazendo alguns vídeos em que contou detalhada e explicitamente suas experiências, expandindo o testemunho que deu ao David Icke. Você pode ver esses vídeos no YouTube, se é que já não os viu. Tendo contado tudo, ela sensatamente se retirou e foi viver sua vida. Não haveria mais a necessidade de ficar reiterando o que já disse, até porque isso é muito doloroso para ela. E há a questão da segurança pessoal. Grande abraço.

  • 16/03/2020 em 11:59
    Permalink

    O que aconteceu com Arizona Wilder, após todas essa revelações ? eu gostaria de saber.

  • 17/03/2020 em 16:05
    Permalink

    Caro Marcos, eu também, mas pelo que eu sei ela se recolheu e ao que parece só quer levar uma vida reservada e desfrutar de um pouco de paz. De qualquer forma, seu testemunho e suas revelações continuarão nos ajudando a desvelar o lado oculto dos controladores do planeta. Grande abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *